Tenho um cisto de ovário, e agora?

Tenho um cisto de ovário, e agora?

Tenho um cisto de ovário, e agora?

Os ovários são estruturas arredondadas localizadas na pelve feminina atrás do útero e próximas as tubas uterinas. Possuem um volume médio de 8ml e são responsáveis pela produção dos hormônios femininos, assim como pela ovulação. A ovulação é o fenômeno de liberação da célula germinativa feminina (óvulo), que é a célula que em contato com a célula masculina (espermatozóide) da origem ao bebê.

Lesões ovarianas são extremamente comuns. Aproximadamente 8% das mulheres em idade reprodutiva e que não apresentam nenhum sintoma possuem um cisto de ovário no ultrassom. Desta forma é muito importante que seu médico saiba diferenciar se uma lesão ovariana é suspeita para câncer ou não.

A maior parte dos cistos de ovário são lesões benignas e estão relacionados ao funcionamento ovariano. Mensalmente o ovário libera um óvulo e no local onde estava esse óvulo pode haver o acúmulo de liquido ou sangue, formando uma lesão cística, que aparece no ultrassom como um cisto de ovário. Em sua maioria, essas lesões desaparecem sozinhas sem necessitar de nenhum tratamento. Dentre as lesões benignas mais comuns estão os chamados cistos foliculares, cistos hemorrágicos, endometriose e abscesso tubo-ovariano.

Os cistos de ovário geralmente são assintomáticos. Os sintomas mais comuns são dor e sensação de peso na região pélvica. No caso de lesões maiores, a mulher pode começar a notar um aumento no volume da barriga e palpar uma massa na região abdominal inferior. Dentre os sinais e sintomas que nos levam a pensar em lesões malignas (câncer) estão perda de peso rápida, aumento rápido do volume abdominal, dor abdominal com piora progressiva, diminuição do apetite, acúmulo de líquido na barriga (ascite). Diante de qualquer um desses sintomas você deve procurar imediatamente um especialista para investigação.

A investigação do cisto de ovário é realizada através da análise dos sintomas da paciente, achados no exame físico, aspecto da lesão nos exames de imagem (Ultrassom ou ressonância pélvica) e exames laboratoriais. O ultrassom transvaginal é um excelente método para investigação das lesões ovarianas e deve ser o primeiro exame de imagem a ser solicitado. A ressonância está reservada apenas para os casos em que o ultrassom não conseguiu analisar adequadamente. Alguns exames de sangue, chamados marcadores tumorais, como o Ca125, CEA e CA19.9, também ajudam na investigação dos cistos de ovário, pois eles podem estar aumentados em alguns casos de tumores malignos. Vale lembrar que esses exames isoladamente não conseguem dar o diagnóstico ou afastar um câncer, pois podem também estar aumentados em outras condições clínicas benignas. Eles são apenas exames complementares.

Os casos suspeitos para neoplasia ou aqueles em que os exames não puderam definir o grau de suspeição devem ser tratados de forma cirúrgica, pois o diagnóstico de certeza (se benigno ou maligno) só é possível através da biópsia da lesão ovariana.

Assim, caso você apresente algum desses sintomas ou tenha o diagnóstico de um cisto de ovário em algum exame de imagem procure o quanto antes um especialista (ginecologista ou oncologista ginecológico) que tenha experiência no tratamento de lesões ovarianas. Lembre-se: sua saúde sempre em primeiro lugar!

Deixe uma resposta